ISSN 2183-4253
 
O trabalho emocional no ato de cuidar em enfermagem: uma revisão do conceito
Código: SS-91      
Resumo:
Cuidar é considerada a essência da enfermagem. Subjacente ao cuidar, a gestão interna das emoções ou o trabalho emocional dos enfermeiros apresentam ainda pouca visibilidade no exercício profissional dos enfermeiros. Para realçar esta evidência, só em 1993 é que o conceito de trabalho emocional foi incorporado na enfermagem, através de Pam Smith. Para este artigo pesquisou-se nas bases de dados CINAHL e PsycINFO com os descritores " Emotional labour" e "Nurs*". Foram analisados 46 artigos, cujo âmbito de estudo foi o trabalho emocional em enfermagem. Da análise dos artigos pode afirmar-se que o trabalho emocional é um processo através do qual os enfermeiros conseguem expressar as suas emoções, gerindo-as em função do ato de cuidar. Os fatores que influenciam este processo estão relacionados com a organização, com o enfermeiro e com o próprio trabalho. Os atributos do trabalho emocional têm duas dimensões: a resposta autónoma dos enfermeiros e as suas estratégias de trabalho (ou seja, ações superficiais ou profundas). As consequências do trabalho emocional incluem as organizacionais e as que afetam o enfermeiro. Em síntese, para um cuidar que envolva a dimensão emocional, o conceito de trabalho emocional deve ser introduzido nos planos de estudos dos cursos. Os enfermeiros também precisam ter tempo e um ambiente propício para refletir, compreender e discutir o seu trabalho emocional no contexto de cuidar.
Lista de Autores
José Vilelas
Apoios: